Vereador_Paulo_Piteira

Visualizações: 126

Escrito por:

À conversa com… Paulo Piteira!

Vereador_Paulo_Piteira

No final do ano passado, sentámo-nos com Paulo Piteira, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Loures e Vereador da Cultura, e fizemos-lhe algumas perguntas…umas mais decentes que outras. 

Luís Vaz
O vice-presidente Paulo Piteira é conhecido entre outras coisas por ser alto. Tão alto que nós achámos que não era aquela pessoa que vinha no carro à nossa frente, que achávamos que era mais alto…

Paulo Piteira
(Ri-se) Eu vinha esticado…

Luís Vaz
…mas certamente já foi pequeno. E, nessa altura, o que é que queria ser quando fosse maior?

Paulo Piteira
Quis ser várias coisas, como acontece com todas as crianças. Eu acho que a primeira coisa que quis ser era cientista. Achava que era uma coisa engraçada, descobrir coisas novas e diferentes… E como tinha um certo gosto pelas coisas ligadas à ciência, era normal ser assim… Depois, a vida foi evoluindo e eu acho que deixei de ter gostos muito definidos. Nós vivemos numa sociedade que tem assim muitas incertezas e eu acabei por ir tentando aproveitar as coisas que me foram surgindo. E ao longo da vida já fiz várias coisas. Já trabalhei em editoras, já trabalhei em empresas de estacionamento, coisas muito diversas…

Fernando Lopes
Imagine o seguinte panorama (aliás, algo que esperemos que nunca aconteça): a sua vida de vereador pode eventualmente ser muito stressante, mas digamos que o stress era mesmo muito. Entretanto tem que ir ao médico e o médico aconselha-o, para descontrair, a praticar uma actividade física. E então decide ir à SFUP e inscreve-se no teatro. Que papel é que gostava de representar?

Paulo Piteira
Ei…, isso é uma pergunta…. Há tantos papéis que se possam representar que é difícil… (Faz um grande silêncio)

Fernando Lopes
Um vilão… um romântico (cantarola)…

Luís Vaz
Os vilões são muito bons de se fazer…

Paulo Piteira
… os vilões são uma coisa mais desafiante de se fazer, sem dúvida nenhuma… Os bonzinhos e os românticos podem não ser tão interessantes…

Luís Vaz
O vice também é conhecido por ser uma pessoa directa, frontal, mas muito cordial e educada. Já alguma vez teve vontade de mandar alguém para aquele lado?
Paulo Piteira
Isso acontece-nos a todos seguramente muitas vezes na vida… Não vou de facto entrar em pormenores, mas algumas personagens com que me tenho cruzado na vida política (e que aliás continuam aí, perfeitamente vivos e activos, e até em crescendo nalguns casos), são personagens relativamente às quais eu gostaria de, às vezes, dizer algumas coisas. Mas, como se costuma dizer, a educação que recebi dos meus pais não me permite fazê-lo.

Luís Vaz
Se pudesse publicar nas redes sociais sem se importar com o que as pessoas poderiam pensar, o que é que publicaria?

Paulo Piteira
Não publicava, seguramente. As redes sociais não fazem o meu género. Acho que se converteram num espaço de grande irresponsabilidade em relação àquilo que se vai dizendo e não se enquadram muito com a forma que eu tenho de estar na vida. Passo por lá, como toda a gente, também publico de quando em vez algumas coisas de cariz institucional (mensagens mais sobre a atividade municipal), mas não é bem a minha praia.

Fernando Lopes
Durante a sua vida, já contou alguma mentira, mas uma daquelas mentiras tão grandes que até a si lhe custou acreditar? Qual?

(Paulo Piteira faz uma grande pausa.)

Luís Vaz
Não sei se o vereador vai responder a esta…

Paulo Piteira
É difícil, realmente. Uma mentira tão grande-tão grande que até a mim me custou acreditar? Talvez as minhas idas à pesca e as minhas capturas magníficas…

Fernando Lopes
(Ri-se) Isso é típico dos pescadores. Mas é pescador?

Paulo Piteira
Sou.

Luís Vaz
Mas já passou por alguma peixaria?

Paulo Piteira
Ah! não cheguei a tanto, mas já estive para levar. Até porque o dia inteiro ali naquela vida e chegar a casa de mãos a abanar, ou de balde, como se costuma dizer, não é uma coisa agradável.

Luís Vaz
Qual foi o conselho que lhe deram, que não seguiu, e depois se arrependeu?

Paulo Piteira
Vários, com certeza. Um conselho que me deram, e que guardo como uma coisa que de facto não segui, foi o de não voltar a estar ligado à actividade política, depois de ter passado aqui como vereador. Em determinada altura, há mais de 20 anos, tive um período em que não estive aqui, mas continuei com a actividade política. É muito difícil alguém que ainda tem este bichinho da intervenção social e política, quem gosta de facto de trabalhar para a comunidade e fazer diferente e tem alguma ideia do que pode fazer de diferente, ter dificuldade em desligar-se disso.

Fernando Lopes
Qual é o seu talento mais inútil? Aquele para o qual não tem mesmo jeitinho nenhum? Que já tentou, mas enfim…

Paulo Piteira
Eu diria que desenhar. É aquilo em que tenho menos habilidade.

Luís Vaz
Mas já tentou?

Paulo Piteira
Já tentei, como todos nós.

Luís Vaz
Qual é a repreensão que habitualmente lhe fazem em casa?

Paulo Piteira
É ser teimoso. És muito teimoso – como se fosse possível a um teimoso teimar sozinho.

Fernando Lopes
Se não fosse vereador, seria eventualmente o quê?

Paulo Piteira
Acho que estava a trabalhar em qualquer coisa no domínio da cultura. Como já disse, trabalhei durante vários anos na Editorial Caminho… Não sei se estaria na Editorial Caminho, mas estaria com certeza ligado ao mundo dos livros. Se pudesse escolher, porque às vezes a vida é mais complicada do que os nossos desejos…

Luís Vaz
Foi, portanto, uma actividade de que gostou…

Paulo Piteira
Sim, sim, muito.

Luís Vaz
A SFUP tem um lema que tem cerca de 20 anos: “SFUP – Uma porta aberta para a cultura”. Acha que a associação faz justiça ao lema?

Paulo Piteira
Acho que sim, acho que sim. É uma daquelas associações, à semelhança de outras, não é caso único felizmente no concelho, e ainda bem que assim é, que tem tido uma actividade continuada em vários domínios, e sempre com uma grande preocupação de integrar pessoas e acho que o tem feito com sucesso e com um projecto para o imediato e para o futuro. Na SFUP percebe-se que há uma linha de continuidade e há um projecto claro, desenhado, a prazo, e tem havido a capacidade de envolver a comunidade e essa é a razão primeira do movimento associativo. Acho que têm feito um excelente trabalho.

Luís Vaz
Bem, estamos mesmo a terminar, já não falta muito. E há uma coisa que me deixa sempre uma dúvida nas figuras públicas, como é o seu caso.

(Paulo Piteira duvida.)

Luís Vaz
Pelo menos, aqui em Loures é uma figura pública. Sardinhas assadas ou frango no churrasco… Com faca e garfo ou pode-se comer à mão?

Paulo Piteira
Pode-se seguramente comer à mão cada uma dessas coisas e é agradável. Já me aconteceu comer à mão ou de faca e garfo e gosto das duas maneiras.

Fernando Lopes
Bom, terminámos.

Paulo Piteira
Queria mandar uma mensagem de grande confiança aos associados da SFUP. Estamos todos a passar por um momento muito difícil, nesta altura, que nos virou a vida um bocadinho do avesso, mas acho que temos que começar a dar a volta às coisas, e acho que é de saudar o facto da SFUP estar outra vez com grande força e pode continuar a contar com o nosso apoio nesse esforço. Acho que temos de recomeçar a viver em comunidade uns com os outros, com os cuidados e com a segurança que nos é exigida, mas não podemos deixar de ser seres humanos e fazer aquilo que é importante.

Entrevista realizada por Luís Vaz e Fernando Lopes e transcrita por Luís Vaz (O autor segue o acordo ortográfico de 1945/antigo acordo ortográfico).

Deixe uma resposta